Adote um orelhudo! Conquista o prêmio expressão de ecologia

WhatsApp Image 2017-03-30 at 19.00.38

 

“O Prêmio foi criado em 2003 pela Editora Expressão e é reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente como a maior premiação ambiental da região Sul do Brasil, com a participação de 2.517 cases das principais empresas, ONGs, prefeituras e entidades da região. Somente nesta edição foram 109 projetos de 80 organizações, que concorreram em 17 categorias.

O evento de premiação (Fórum de Gestão Sustentável) será realizado no dia 28 de julho de 2017, na sede da FIESC, em Florianópolis (SC).

Os projetos vencedores nesta edição serão destacados no Guia de Sustentabilidade 2017. A publicação anual da Expressão circula em julho e será lançada no evento de premiação.

Conheça os vencedores:
http://www.expressao.com.br/ecologia/vencedores/16.php

Acesse os 109 projetos participantes:
http://www.expressao.com.br/ecologia/participantes2016.php

Conheça o seleto grupo de jurados:
http://www.expressao.com.br/ecologia/jurados/index.php

Acesse a última edição do Guia de Sustentabilidade (2016):
http://www.expressao.com.br/guia2016

Veja Galeria de Fotos da última edição do Fórum de Gestão Sustentável (2016):
http://www.expressao.com.br/forum/galeria2016.php”

Com esse reconhecimento, a causa dos coelhos chega a um novo patamar dentro da proteção animal, ganhando também mais visibilidade no que concerne à problemática que envolve o comércio desses animais, tão negligenciados pelas nossas autoridades.

Nosso agradecimento a todos os envolvidos, aos que nos seguem e compartilham nosso trabalho, especialmente aos nossos voluntários que dedicam muito do seu tempo para divulgar a causa dos orelhudos!

como cuidar de coelhos

Como cuidar de coelhos: perigos dentro e fora de casa

Um coelho doméstico, ao qual é permitida liberdade dentro de casa e no quintal, goza de um estilo de vida que é sociável, estimulante e confortável. Todavia, para que esse seja um estilo de vida seja seguro, é necessário que faça mão de um ambiente controlado, isto é, um ambiente no qual o cuidador elimine ou reduza ao máximo possíveis riscos e como cuidar de coelhos.

Com quais perigos externos eu preciso me preocupar?

como cuidar de coelhos

O perigo mais imediato para um coelho fora de casa é o ataque de predadores.  Uma coelheira de quintal não oferece suficiente proteção, pois predadores determinados podem entortar ou romper arames; e os mais ágeis podem inclusive abrir portas de gaiolas. A mera presença de predadores pode desencadear uma reação extrema em um coelho; um ataque de pânico durante o qual o coelho corre descontroladamente para frente e para trás, e se torce e debate. Um coelho neste estado pode quebrar suas próprias costas, ou morrer de um ataque cardíaco. Um sobrevivente pode ficar com sequelas permanentes ou desenvolver infecção a partir de feridas causadas por mordidas ou garras. Como a maioria dos predadores caça à noite, recomenda-se que um coelho solto ao ar livre seja levado para dentro de casa todas as noites. Uma casinha coberta e resistente no quintal é geralmente suficiente para desencorajar ataques durante o dia, especialmente se tiver humanos por perto.

Um coelho, mesmo castrado ou esterilizado, ao qual se permita a liberdade de um quintal, irá seguir seu instinto de cavar tocas. Com o tempo, essas tocas podem tornar-se elaboradas ao ponto de o cuidador não o conseguir pegar. Esse é um problema se o coelho estiver assustado, ferido ou doente, se uma coelha estiver grávida, ou se ele/ela tiver outra necessidade qualquer que requeira ajuda humana. Além disso, existe a possibilidade de o solo conter bactérias nocivas à sua saúde. Portanto, recomendamos que o coelho satisfaça seu desejo de cavar em uma coelheira ou caixa cheia com palha limpa substituída regularmente. Escavações na terra podem ser desencorajadas pela adição de um fundo de arame em sua casinha, ou preenchendo-se novas tocas assim que iniciadas.

Removidas suas tocas naturais, deve-se fornecer ao coelho proteção contra o mau tempo. Um coelho cujo estilo de vida flexível permita-lhe interagir com sua família humana dentro de casa pode compartilhar de seu ambiente confortável.

Um coelho que esteja sofrendo com o calor pode ser arrefecido pendurando-se toalhas molhadas sobre sua casinha, ou colocando próximas a ele garrafinhas de água congeladas envoltas por toalha.

Muitas pessoas acreditam um coelho seja capaz de evitar instintivamente plantas venenosas no quintal. Isso não é verdade! Aconselhamos fazer uma lista de todas as plantas no quintal, e em seguida pesquisar quais dentre elas são venenosas. Até que todas as plantas venenosas sejam removidos do quintal, o coelho deve permanecer dentro de casa. Em se tratando de plantas, há ainda o risco de envenenamento pelo uso de fertilizantes e pesticidas.

Outro risco se apresenta fora de casa, especialmente para coelhos fisicamente comprometidos. Qualquer coelho que seja incapaz de limpar completamente urina ou fezes da sua pele, fica vulnerável ao ataque de enxames de moscas, uma condição que oferece risco à vida. Prevenir-se quanto a essa possibilidade implica examinar coelhos nessas condições uma ou duas vezes por dia, mantendo-os sempre limpos e secos.

Outros insetos ameaçam coelhos que vivem fora. Um quintal infestado de pulgas pode sujeitar um coelho a anemia por pulgas. Em algumas áreas, a mixomatose, uma virose mortal, pode ser transmitida a coelhos domésticos por picadas de inseto.

Finalmente, um perigo insidioso a um coelho que viva do lado de fora é a  desatenção de seu cuidador. Mesmo que o coelho esteja bem alimentado, hidratado e abrigado, observação e manuseio pouco frequentes podem fazer com que problemas de saúde sejam percebidos apenas tarde demais.

Em resumo, perigos externos são minimizados através de uma rotina que permita ao coelho entrar em casa quando necessário (à noite, durante condições meteorológicas extremas, ou quando estiver doente); e, pela socialização e observação atenta que devem acompanhar tal rotina.

Com quais perigos eu preciso me preocupar dentro de casa?

Bunny-Howls-at-the-Moon

Quanto mais é permitido a um coelho criado dentro de casa interagir com sua família humana e com outros animais de estimação, mais ele vai poder expressar sua personalidade e ser apreciado por ela. 

Choque cardiogênico ocasionado pela mastigação de cabos elétricos é o perigo mais imediato para um coelho solto dentro de casa. Coelhos têm um instinto fortíssimo de roerem os cabos e fios da casa! Cabos que atravessem seu caminho, ou lugares que lembrem túneis, como embaixo do sofá, são especialmente tentadores. Tornar a casa “à prova de coelho” significa envolver cabos elétricos em plástico resistente, ou bloquear cabos e tomadas com móveis de modo que o coelho não possa alcançá-los. É o passo mais importante na preparação da casa para chegada de um coelho.

Supervisioná-lo pode não ser suficiente para impedir uma mordida repentina em um fio elétrico, mas ainda assim é útil observá-lo e, quando necessário, intervir, reduzindo sua atividade. Coelhos com menos de um ano de idade são pequenos demônios, saltando por cima, sobre, sob e dentro do mobiliário. “Quão alto pode saltar um coelho?” Isso depende da determinação e da capacidade atlética do indivíduo em questão. Um erro nos cálculos do coelho pode resultar em queda, aprisionamento, pânico, batidas ou lesões. Coelhos são naturalmente parkour!

Geralmente, coelhos maduros são menos aventureiros e, após um período de observação, pode lhes ser dada liberdade sem supervisão.

A tendência do coelho para mastigar é um hábito mais perigoso que inconveniente. Assim como as do quintal, as plantas da casa devem ser identificados e as venenosas removidas. Materiais sintéticos, em particular carpetes e tapetes, se ingeridos em grandes quantidades, podem bloquear o sistema digestivo do coelho. Isso pode ser evitado pela oferta de alternativas de mastigação naturais (feno, madeira, papelão, esteiras não tratadas), restrição de acesso a áreas com carpete, e castração ou esterilização do coelho para diminuir o desejo de modificar território.

Muitas vezes um coelho criado dentro de casa encontra em sua gaiola um porto seguro, voltando lá para comer ou descansar – lembre-se que a gaiola deve ser usada para prender o coelho apenas em situações pontuais, nas quais seja necessário isolá-lo para sua própria proteção, um coelho jamais deve ser criado confinado em uma gaiola! No entanto, uma gaiola de arame também pode representar um perigo se o coelho nela enroscar as unhas, patas, ou dentes. Assim sendo, coloque dentro dela um descanso de patas de madeira não tratada ou papelão, um banheirinho, caso a própria gaiola não seja usada para esse fim, e brinquedos para passar o tempo. E, para a segurança psicológica, um ninho de madeira não tratada ou mesmo de papelão. Eles vão amar! Eles adoram uma toca, um buraco…

O cuidador deve ter em mente que coelhos possuem uma estrutura frágil, e que fraturas na coluna vertebral podem ocorrer caso o coelho tente se soltar enquanto é segurado inadequadamente, ou caso seja solto abruptamente. Formas de manuseio seguras podem não ser intuitivas e requerem prática. Um cuidador adulto também deve proteger o coelho da manipulação por crianças pequenas, assim como de brincadeiras mais brutas com outros animais de estimação. Se tiver por companheiro um gato, suas garras devem ser aparadas, se um cão, esse deve ser treinado e supervisionado antes que lhe seja permitida qualquer interação com o coelho. Dois coelhos estranhos devem ser apresentados sem pressa e com todo cuidado, a fim de se evitar brigas.

Um coelho criado em casa pode ser levado para passear em coleira. No entanto, até mesmo o coelho mais confiante pode entrar em pânico, se subitamente consciente do espaço aberto, da restrição da coleira, ou da aproximação de um animal desconhecido. Prefira fazer o passeio em áreas que lhes sejam familiares e sem interação com animais predadores. Só o cheiro de um cachorro, por exemplo, é motivo suficiente para o coelho entrar em pânico.

Alguns cuidadores de coelhos podem receber esses conselhos com uma atitude ceticista: “Pipoca comeu o cabo da TV e não aconteceu nada”, “Algodão afugenta os gatos no quintal.” Não negamos que coelhos sejam animais resilientes e criativos. Mas quando a longevidade de nossos companheiros é uma prioridade, não podemos nos dar ao luxo de sermos complacentes com sua segurança. Se você valoriza o seu coelho, e quer que ele envelheça ao seu lado, elimine perigos no seu ambiente!

Adaptação do texto “Outdoor and Indoor Hazards”, disponível em:
http://rabbit.org/faq-outdoor-and-indoor-hazards-to-companion-rabbits/

casa para receber meu coelho

Como devo preparar a casa para receber meu coelho?

casacoelho

Tornar sua casa à prova de coelhos, isto é, torná-la um ambiente seguro para seu amigo orelhudo, envolve três coisas: 1)  Impedir seu coelho de destruir sua propriedade; 2) Proteger seu coelho (s) companheiro de ferimentos; e 3) Fornecer ao seu coelho alternativas de mastigação seguras e divertidas. Por isso siga essas dicas importantes criando maior segurança ao preparar a casa para receber meu coelho.

Continue reading

Confira os alimentos recomendados para coelhos

 Coelho comendo morango

A alimentação adequada é fundamental para o coelho. Ela irá determinar a qualidade de vida e saúde. Uma alimentação inadequada pode trazer graves prejuízos para a saúde do coelho, acarretando até mesmo na morte dele. Confira abaixo a pirâmide alimentar do coelho. Em seguida, uma lista de alimentos recomendados para coelhos, sendo expostas em cada um dos itens da pirâmide alimentar.

Pirâmide Alimentar do Coelho

Feno

 

Item essencial para a dieta do coelho. O feno é muito importante para manter a saúde do sistema digestivo do coelho em dia, além de ajudar a gastar os dentes (que nunca param de crescer). Um coelho saudável come muito feno. Você pode encontrar em agropecuárias. Pela internet também é possível comprar Feno, e você ainda terá várias opções de sabores!

 

Verduras

 

É a base alimentar do coelho. Verduras frescas e escuras são importantíssimas para manter a saúde e o bem estar do coelho. São os principais alimentos recomendados para coelhos.  Devem ser oferecidas em abundância, de 4 em 4 horas. As verduras devem ser higienizadas antes de serem oferecidas ao coelho, para retirar as possíveis bactérias e outros parasitas que possam estar nas folhas. Também é importante variar bastante as verduras oferecidas. Como dica, nós recomendamos que você peça, na feira perto da sua casa, para guardar aquelas folhas de couve-flor que são sempre descartadas. Elas são muito nutritivas, de graça e eles adoram! Mas lembre-se de lavar muito bem elas, para tirar qualquer bactéria, parasita e agrotóxico. O ideal é oferecer 3 variedades de verduras diferentes ao dia, garantindo assim uma nutrição completa para o seu coelho. A seguir, uma lista de alimentos permitidos e proibidos para os coelhos, muitos retirados do site House Rabbit Society.

 

Verduras I (precisam de bastante rotatividade rodada devido ao teor de ácido oxálico delas. É permitido no máximo um item dessa lista ao)

 

Salsa

Mostarda verde

Folha de Beterraba

Folhas de rabanete

Brotos (de 1 a 6 dias após a germinação. Brotos de couve têm níveis mais elevados de alcalóides).

 

Verduras 2 II (baixo em ácido oxálico)

 

Folhas de Couve Flor (pode-se pegar de graça em feiras, e tem que ser muito bem lavada)

Rúcula

Folhas de Cenoura

Folhas de pepino

Almeirão

Escarola

Couve (todos os tipos)

Rúcula

Agrião

Dente de leão

Capim elefante (cultivado em casa, para não ter contaminação)

Capim doce

Manjericão (qualquer variedade)

Chicória

Radiche

Erva-doce

Brócolis (somente folhas)

Ramas de cenoura

 

Legumes e outros vegetais

 

Os alimentos que estão nessa lista não devem compor mais de 15% da dieta do coelho

.

Cenouras

Brócolis (folhas e caules)

Flores comestíveis (rosas, chagas, amores-perfeitos, hibiscus)

Aipo

Catalônia

Beterrraba

Pimentões (qualquer cor)

Vagens de ervilha chinesa

Couves de bruxelas

Repolho (qualquer tipo)

Abobrinha

 

 

Ração

 

A ração deve compor 15% da dieta do coelho.Sugerimos que sejam dadas a Funny Bunny ou a nutrópica. Estas rações são alimentos recomendados para coelhos devido a sua melhor qualidade.

 

Frutas

 

Frutas não devem ultrapassar 10% da dieta. Isso por que o nível de açúcar engorda e pode acarretar em diabete para o coelho. Aliás eles amam frutas! Sentem o cheiro de longe!

 

Maçã (qualquer variedade, sem caule e sementes)

Banana!!! (Eles amam)

Morango

Goiaba vermelha

Pera

Pêssego

Kiwi

Mamão

Manga

Melões (qualquer – pode incluir cascas e sementes)

 

Guloseimas

 

Nas lojas especializadas, petshops etc., é possível encontrar várias guloseimas para o seu coelho. Você pode dar para eles, desde que seja bem pouquinho (1% da dieta deles). Além disso, você pode usar a guloseima para treinamento, como reforço positivo.

Faltou algum alimento importante na lista? Então recomende ele nos comentários! Nós incluiremos na lista!

Como ensinar seu coelho a usar o banheiro: tudo o que você precisa saber!

Artigo super completo para entender os hábitos do seu coelho e como treiná-lo a usar o banheiro.

 

Coelho caixa sanitária

Por natureza, os coelhos escolhem um ou vários lugares (geralmente os cantos) para depositar sua urina e a maioria de suas bolinhas.

 

– Treinamento de xixi vai um pouco além do que colocar uma caixinha onde o coelho escolhe ir.

– Treinamento de coco vai além do que dar um lugar para eles fazerem seu coco.

 

Cada animal tem o seu tempo e o seu jeito, então apenas os tutores poderão saber julgar qual é a maneira mais correta de treinar. Mas nós vamos dar algumas dicas de ouro para facilitar esse processo e ajudar o seu coelho a usar a caixinha!

Continue reading

Saiba tudo sobre castração de coelhos e coelhas

 

Flemmie-Cupid

 

Coelhos castrados e esterilizados são mais saudáveis e vivem mais do que os coelhos que não passaram por esse procedimento. O risco de câncer do sistema reprodutivo (ovário, útero, de mama) para uma coelha é praticamente eliminado pela castração. Já coelhos machos castrados vivem mais tempo, com menos estresse, além de diminuir seus ímpetos agressivos (como disputas e brigas com outros animais).

 

Coelhos castrados se tornam melhores companheiros. Eles são mais calmos, mais amorosos e confiáveis. Além disso, os coelhos são menos propensos a ações destrutivas (roer e cavar) e agressivas (morder, chutar, grunhir) depois de castrados.

 

Previne comportamentos desagradáveis. Coelhos machos não castrados costumam marcar território com xixi. Apesar dos machos serem mais propensos a isso, as fêmeas também têm esse hábito. É mais fácil treinar um coelho castrado a usar o banheirinho e a caixinha.

 

Ajuda a controlar e evitar superpopulação de coelhos. Durante o ano, milhões de adoráveis coelhos, cães e gatos irão morrer devido ao abandono e falta de lar. E é comum que muitos coelhos indesejados sejam largados em terrenos baldios, matas, parques etc., onde vão morrer de frio, fome, acidentes de trânsito, ou como presas de outros animais. Castrar e evita que haja superpopulação, e ajuda a encontrar lar para muitos adoráveis coelhos que precisam de um.

 

Coelhos castrados são companheiros mais seguros para outros coelhos. Os coelhos são animais sociais e é muito benéfico para eles poderem desfrutar da companhia de outros coelhos. Mas a menos que o seu coelho seja castrado, podem haver brigas por dominância e algumas com consequências bem graves. Principalmente se os coelhos forem do mesmo sexo. Coelhos castrados tem maiores chances de se darem bem, e de encerrarem as brigas por dominância mais rapidamente.

 

Esterilização e castração para coelhos é um procedimento seguro quando realizado por veterinários experientes em coelhos. A mortalidade por castração é mínima, desde que seja feita por um profissional experiente, e os cuidados pós-operatórios sejam seguidos à risca. A Adote um Orelhudo castra todos os seus coelhos na Clínica Green Cross, que conta com profissionais bastante experientes em saúde de exóticos, principalmente coelhos.

 

A cirurgia é segura em coelhos?

A cirurgia de castração e esterilização é tão segura para coelhos quanto para qualquer animal. Infelizmente, a grande maioria dos veterinários não têm experiência com técnicas de cirurgia em coelhos. Apenas veterinários especializados em exóticos podem realizar esta cirurgia, bem como consultar ou fazer qualquer tipo de tratamento em coelhos.

 

Qual a idade que os coelhos podem ser esterilizados ou castrados?

Assim que os coelhos estiverem sexualmente maduros, a castração e a esterilização podem ser realizadas.

 

Para as fêmeas, essa maturidade ocorre geralmente a partir do quarto mês de idade. Há quem prefira esperar até que elas completem seis meses de idade, por medo de fazer a cirurgia em uma coelha jovem demais. De fato, a esterilização em coelhas é uma cirurgia mais complicada que as dos machos, e o pós-operatório exige bem mais cuidados.

 

Os machos podem ser castrados assim que os testículos descerem, o que o ocorre geralmente entre o segundo e o terceiro mês de idade.

 

Quando é um coelho muito velho demais para ser esterilizado ou castrado?

Cada veterinário tem uma opinião própria sobre isso. Mas a maioria afirma que a idade limite para castrar um coelho é de 6 anos. Isso porque a utilização de anestésicos e até mesmo a própria cirurgia se tornam mais arriscadas para ele. No entanto isso não impede que a castração seja feita. Caso o seu coelho já tenha ultrapassado a idade limite, e seja necessária uma castração, leve-o ao veterinário para que sejam feitos todos os exames, verificando se a saúde dele está ok, e se é possível realizar a cirurgia.

 

Aliás, fazer esse exame minucioso, incluindo exames de sangue completo, é recomendado até mesmo para coelhos que tenham idade superior a dois anos. Este cuidado pode até mesmo sair mais caro que a cirurgia, mas tornará qualquer procedimento cirúrgico mais seguro.

 

Como saber se uma fêmea já foi castrada?

Até por ser um procedimento mais caro e complexo do que a castração no macho, o mais provável é que a fêmea não tenha sido castrada.

Ao raspar a pelagem da barriga, é possível encontrar a cicatriz da castração. No entanto, alguns veterinários possuem técnicas de costura que não deixam nenhuma cicatriz. Há alguns que chegam a tatuar a barriga da coelha, para indicar que já foi feito o procedimento. Ultrassonografia pode ser o método mais seguro para verificar se a coelha foi ou não castrada.

 

Quanto custa a cirurgia?

Os custos variam muito de cidade para cidade e de veterinário para veterinário. Portanto, consulte o profissional que irá efetuar o procedimento para saber quais os custos.

 

Que tipo de perguntas devo fazer ao veterinário para saber se ele é um bom profissional?

 

  • Quantas consultas em coelhos ele faz?
  • Quantas castrações e esterilizações ele realizou no ano passado?
  • Qual foi a taxa de sucesso? 90% de sucesso é uma taxa muito baixa. Cada médico, tanto de animais como de seres humanos, pode ocasionalmente perder um paciente, geralmente por causa de algum problema não diagnosticado. Toda cirurgia sempre oferece risco. Nossos animais podem ter alergias e outros problemas que não sabemos. Mas a taxa de óbitos aceitável para um bom profissional varia entre 1% e 1,5%.
  • Se houve algum óbito, qual foi a causa?
  • O veterinário remove o útero e os ovários? (Eles deviam)
  • O acesso aos testículos é feito por meio do escroto, ou do abdômen? (Entrada por meio do abdómen aumenta desnecessariamente o trauma em coelhos machos.)
  • O veterinário exige retenção de alimentos e água antes da cirurgia em coelhos? (Não há essa necessidade, pois coelhos não podem vomitar, por isso não há esse risco.
  • Revise o procedimento (pré e pós-operatório imediato) com o seu veterinário. Pergunte como problemas serão detectados: quantas vezes eles (o veterinário e os técnicos) vão olhar dentro de seu coelho e que eles vão procurar? O que eles vão fazer de procedimentos pré e pós-operatório para detectar possíveis problemas? Como eles vão apoiar o seu coelho nas primeiras horas após a cirurgia: oxigênio, calor, deixá-los em repouso e estimulá-los? Pergunte! Isso vai chamar a atenção de seu veterinário. Deixe-os saber que você está interessado e que você estará prestando atenção ao que é feito.

 

Que cuidados pré e pós-operatório devem ser feitos ao coelho?

Algumas pessoas dão o seu coelho probióticos (lactobacilos vivos como Yakult) alguns dias antes da cirurgia, para garantir que o sistema digestivo dele esteja funcionando corretamente. Apesar disso, uma coisa muito importante de ser feita é evitar mudar a dieta dele durante os dias que antecedem a cirurgia.

 

Após a cirurgia, peça ao seu veterinário indicar alguma medicação para a dor. Caso ele apresente alguma perda no apetite, você pode dar um probiótico para ajudá-lo a voltar a ter um bom apetite. Inspecione cirurgia de manhã e à noite. Depois de uma castração, o escroto pode inchar com fluidos. Compressas quentes ajudam a aliviar, mas isso não chega a ser um problema preocupante. Agora, caso o coelho apresente qualquer sinal de infecção, ele deve ser levado ao veterinário imediatamente.

 

Após a cirurgia, mantenha-o em um ambiente tranquilo, que não assuste o coelho e o deixe em pânico. No entanto, deixe seu coelho se mover conforme ele quiser. Ele sabe onde dói e o que não funciona.

 

Alguns veterinários preferem manter coelhos na clínica até o dia seguinte à cirurgia. Se o seu veterinário permite que você o traga para sua casa, observe o seguinte:

A maioria dos machos chega em casa depois de ter sido castrado procurando “ceia” – então confira se eles têm verduras, ração, água e algum bom feno.

A maioria das fêmeas querem ser deixadas sozinhas, não estarão muito interessadas em comer. Elas vão escolher algum cantinho e ficar quietinhas ali. Tente não pegar ou incomodá-la tanto nos primeiros 4 dias. As fêmeas têm uma recuperação mais lenta e difícil.

Na manhã seguinte, ou no mais tardar até a próxima noite, é importante para a coelha comer algo. Não importa o que ou quanto, contanto que ela esteja comendo, de modo que o trato digestivo não seja desligado. Se ela não for comer sozinha, teremos que apelar e forçar a alimentação por meio da seringa.

Primeiro você deverá fazer uma papa para ela, com ração, verdura, água filtrada e alguma frutinha para deixar mais calórica e mais agradável o sabor da papa. Com o coelho sentando, você deve forçar a alimentação pelo lado da boca dela. Tudo muito delicadamente, para não machucá-la. Limpe o cantinho da boca e onde estiver sujo, para não assar. Também complemente com Yakult (pode ser dado em seringa). Geralmente eles adoram e isso ajuda a equilibrar o trato digestivo. Vá fazendo isso e incentivando ela a comer sozinha com suas comidinhas favoritas.

A fêmea vai querer retirar os pontos da barriga, portanto ela vai precisar de roupa cirúrgica, ou deverá ser feito curativo com bandagem, enrolada confortavelmente. Verifique se a bandagem está confortável, se não está muito apertada, se ela consegue respirar normalmente.

 

Texto traduzido e adaptado do seguinte texto:

Spaying and Neutering

Enfermeira veterinária vai ficar em uma coelheira humana durante 48 horas

Emma Purnell, 30 anos, da Grã-Bretanha, vai simular uma triste situação comum aos coelhos de estimação: o confinamento. Ela ficará durante 48 horas em uma coelheira adaptada para o tamanho de um ser humano, fantasiada de coelho. Além de ficar confinada neste espaço apertado, ela ainda vai restringir sua alimentação para cenouras e Muesli (um cereal matinal popular na Alemanha).

 

Um dos objetivos dela com esta experiência é alertar para o estado precário que muitos coelhos domésticos vivem. Segundo Emma:

 

“Os coelhos que vivem em uma pequena gaiola, sem espaço ou estimulação, com uma dieta pobre, que muitas vezes leva a problemas dentários, nenhuma companhia de outros coelhos, têm uma existência que podemos dizer, no mínimo, miserável.”

 

Emma ainda afirma que os coelhos de estimação são por demais incompreendidos. Um dos erros comuns é usar este animal como o primeiro para as crianças. Aliás, coelhos e crianças pequenas são incompatíveis. As crianças pequenas levarão muitas mordidas, e os coelhos ganharão ferimentos graves, que os deixarão paraplégicos, senão os levarão a óbito. Somente crianças maiores podem ter coelhos de estimação.

 

Além disso, eles precisam de espaço, tempo, um outro coelho para fazer companhia ou atenção do dono. Situações de stress o deixam muito suscetíveis a doenças, conforme alerta Emma.

 

A ideia é conscientizar as pessoas desse terrível mito de que podem viver confinados em gaiolas apertadas. Além disso, ela busca angariar doações para os vários protetores, projetos e abrigos que resgatam esses animais na Grã-Bretanha. Confira algumas fotos:

 

Vestida de coelho

 

Emma em sua coelheira humana

 

 

Entenda por que seus coelhos brigam e saiba como ajudá-los a serem amigos

 

Hoje vamos ajudá-los a entender por que seus dois coelhos podem ter dificuldade em se entenderem. Além disso, como tornar mais fácil o processo deles tornarem-se amigos e conviver sem brigas.

Muitas pessoas se afligem, e com razão, ao verem seus amadinhos brigarem, e brigarem, e brigarem, e brigarem… Ficamos tristes por isso e até achamos que a situação não tem solução. Aqui no Adote um Orelhudo, já recebemos muitos coelhos por causa desses problemas. Leia o post, entenda melhor o problema e aprenda a contorna-lo!

 

Por que meus coelhos reagem de forma tão agressiva quando encontram outro coelho?

Os coelhos não são naturalmente agressivos. Eles são animais que vivem em grupo e extremamente sociáveis. Por isso, eles costumam amar os seus amigos! No entanto, os coelhos também são pequenas criaturas muito complexas e muito sensíveis. Os laços que estabelecem com os seus parceiros e companheiros de grupo são para a toda a vida. Vamos enxergar isso por outroângulo.

 

Nós como seres humanos, também amamos nossos amigos. Quando começamos uma relação de amizade, estamos prontos para morar com nossos amigos no terceiro encontro? Normalmente não. Precisamos de um tempo para estabelecer e construir uma relação de confiança. Da mesma maneira, a relação entre os coelhos é construída em cima de confiança. Se o grupo de coelhos não pode estabelecer a confiança entre eles, eles não serão capazes de confiar no outro coelho caso ocorra em uma situação perigosa ou com risco de vida.

 

Os coelhos vivem em grupos para se ajudarem, e principalmente, para se defenderem e protegerem se contra predadores. Isso faz com que confiar seja algo muito importante para eles, pois a vida de todo o grupo e da sua prole depende disso! Se um coelho dentro do grupo não é confiável, todo o grupo corre perigo. Elas podem ser pequenas criaturinhas, mas seus relacionamentos são complexos, embasados em instinto de sobrevivência.

 

Junto com isso vem a hierarquia. A única maneira de ter um grupo seguro é o de assegurar que um coelho forte está liderando o grupo. Um coelho fraco como líder do grupo é perigoso para todos eles. E é isso que faz com que o processo de ligação e criação de laços de amizade seja tão doloroso para eles (e para nós). Assistimos nossos coelhos brigarem para ver quem estará no topo da hierarquia do grupo. Portanto, lembre-se que eles normalmente criam laços de amizade, mas tem que respeitar os instintos deles. A briga pela liderança do grupo sempre foi fundamental para a sobrevivência deles. Tenha isso em mente para ajuda-los a serem amigos.

 

Com isto em mente, saiba que o seu principal trabalho é controlar essas situações de briga, para que nenhum deles saia ferido. Você também pode usar certas ideias e técnicas para ajudar a guiá-los na direção certa. Uma dessas técnicas para ajudar dois coelhos que são naturalmente agressivos é usar situações de stress em favor disso. Situações de stress potencializam os instintos naturais dos coelhos, os põem em estado de alerta e acaba por encorajá-los a confiar um no outro, visando superar o obstáculo, medo ou perigo. Isso pode agilizar a construção de uma relação de confiança e amizade entre os dois briguentos. Existem muitas outras técnicas e ações, sempre observe como seus coelhos reagem a elas para que você faça a escolha correta.

 

Algumas ideias para simular situações de risco (sem perigo para os dois coelhos brigões)

Que tal usar uma banheira escorregadia? Ou ainda, pisos escorregadios e que dão dificuldade para os coelhos obterem uma boa aderência. A incapacidade de ficar de pé, ainda mais em um lugar apertado, os colocará em alerta. Com isso, esse estado de alerta fara com que eles foquem menos em briga e mais em segurança.

 

Um cesto de roupa em cima do secador – o tremor do secador vai ajudar a colocar os dois coelhos em alerta e irá aprimorar em que o instinto de se unir. A incerteza da situação irá desencorajar luta (como um coelho assustado tem mais chances de fugir do que lutar) e incentivá-los a voltar-se para o outro coelho buscando conforto e segurança durante a situação estressante.

 

Passeio de carro pode ser uma situação não tão relaxante para um coelho que não é acostumado. É outra maneira segura de estimular um vínculo, buscando união e segurança.

 

Castrar sempre é a melhor saída

Para coelhos machos principalmente, a castração pode ser a melhor saída para eliminar as brigas. Apesar de não ser um processo garantido, eles vão sentir menos necessidade de disputar pela liderança, e vão se tolerar mais!

 

Cuidados com o espaço em que são apresentados

Caso sejam muito brigões, e vivam separados, uma boa maneira de fazê-los se conhecer é em um espaço neutro, que não seja frequentado por nenhum dos coelhos. Há pessoas que costumam deixá-los separados por uma grade, no começo, para que se acostumem um com o cheiro do outro, e depois vão soltando aos poucos. Coelhos sempre são vencidos pela curiosidade. Esteja sempre presente para monitorar esses encontros e evitar que saiam feridos.

 

Embora estas técnicas não são garantia de conquistar uma boa convivência, esperamos que ajudem a entende-los um pouco. Nada como a convivência com seus coelhos, para indicar qual é o melhor caminho. Aliás, esse é o principal ponto para que você possa conquistar harmonia em sua casa, entenda seu coelho, entenda por que ele age assim. A partir daí, tudo ficará mais fácil.

 

Dica bônus: Não estimule ciúmes, ou seja, não privilegie um coelho. E principalmente, broncas não funcionam com coelhos. Ao invés disso, use reforço positivo como guloseimas, para premiar suas boas atitudes.

 

http://www.thebunnychick.com/2014/03/10/understanding-rabbits-bonding-dominant-behaviors/

 

15 Razões para escolher um coelho de chocolate (em vez de um coelho de verdade) para a Páscoa!

80% dos coelhos comprados paraserem presentes de Páscoa nunca chegam ao seu primeiro aniversário.

670px-Name-Your-Bunny-Step-2

A compra dos coelhos para as crianças em cada Páscoa é uma moda que as equipes de resgate em todo o mundo gostariam que acabasse. Quando a Páscoa passa, os pais percebem o que realmente fizeram, acabando por abandonar os novos “membros da família”, senão dão um destino pior ainda.

 

Por favor, tenha em mente que ao levar um coelho para casa, você não está escolhendo um presente e sim aumentando a sua família. Pense bem se o seu filho está pronto para a responsabilidade de um animal de estimação. Aliás, quando se tratam de crianças pequenas (menos de seis anos), não se deve escolher coelhos de estimação. Coelhos não são amigos de crianças menores de seis anos.

 

Não queremos desestimular a adoção, pois temos MUITOS coelhos precisando de lar. Este texto é para ensinar a responsabilidade que vem com esse foforucho, e também para diminuir as compras por impulso. Então leia 15 razões para repensar a compra de um coelhinho como presente de Páscoa.

 

1. Coelhos fazem cocô cerca de 300 vezes por dia.

 

Sim, isso é um monte de cocô. E é necessário, porque cocô é a parte mais importante para ajudar os humanos companheiros a entender o que se passa com o coelho. Aliás, existem até guias para saber se o cocô do coelho está normal ou não!

 

2. Os coelhos são um compromisso de 10-15 anos.

 

Graças aos bons cuidados, a expectativa de vida de um coelho aumenta Em geral, eles vivem de 5 a 10 anos, e em alguns casos, de 10 a 15. Isso é um grande compromisso! Pense que o seu coelhinho vai fazer parte de sua vida por todo este tempo.

 

3. Eles exigem uma dieta rigorosa e bem equilibrada.

 

Devido à natureza frágil dos coelhos com relação ao trato digestivo, eles devem ter uma dieta que seja adequado às suas necessidades específicas. Uma criança não é capaz de dar a atenção e tempo adequado para as necessidades específicas de um aparelho digestivo coelhos e requisitos de dieta. Está será responsabilidade dos pais.

 

4. Estase Gastrointestinal.

 

Estase Gastrointestinal são duas palavrinhas muito temidas para toda comunidade de papais e mamães de coelhos. Estase Gastrointestinal acontece quando o aparelho digestivo do coelho começa a desacelerar por uma infinidade de razões, tornando o coelho letárgico e deprimido, levando a óbito se não percebido imediatamente. Por isso, é extremamente necessário prestar atenção à dieta do coelho.

 

5. Eles exigem cuidados veterinários especiais e exames anuais.

 

Coelhos exigem veterinários de silvestres e exóticos para tratá-los quando estão doentes. E estes profissionais não são comuns. A maioria das clínicas certamente não terá um veterinário de exóticos na equipe. Além disso, a dificuldade de se obter atendimento fora do horário de atendimento irá requerer que os donos precisem ter algumas noções básicas de como manter vivo seu coelho, em uma emergência. Você está disposto a ficar acordado a noite toda forçando alimentação e água por uma seringa? Forçando-os a correr para que saiam da letargia? Até que possam ser atendidos às 8h da manhã?

 

Eles também exigem exames anuais, como qualquer outro animal de estimação. Estes exames anuais são extremamente importantes para manter uma boa saúde em seu coelho porque eles são extremamente talentosos em esconder doenças. Por serem animais assintomáticos, em muitos casos você só vai perceber que o seu coelho tem algum problema quando estiver próximos da morte. Prevenir doenças com alimentação e cuidados adequados, bem como detectá-las precocemente, irá ajudar a evitar a morte de seu coelho, bem como diminuir os gastos com veterinário.

Momento “Jabá”
Aliás, quem cuida dos coelhos da Adote Um Orelhudo é a Green Cross. São profissionais maravilhosos, realmente comprometidos com o bem-estar animal. Graças a eles, nossas contas não ultrapassam o valor alto que já temos. Eles fazem muitos descontos e nos ajudam muito. Por isso, fazemos nosso jabá para eles, são ótimos e merecem 🙂  I love Green Cross

Link para a fanpage da clínica:
https://www.facebook.com/pages/Green-Cross-Veterin%C3%A1ria/473654062671243?fref=ts

 

6. Os coelhos bebês não são cute-cute após 8 semanas de idade.

 

Coelhos bebês são as coisas mais gracinhas, lindas e fofas da terra <3. São queridinhos, docinhos, brincalhões… No entanto eles crescem…. E entram na temida e difícil e terrível ADOLESCÊNCIA… Aí, aquela bolinha fofa e cheia de amor se torna o demônio mais terrível da sua casa… Aliás, é nessa época que costumam haver mais abandonos. Muitos proprietários de coelhos não sabem que isso é uma fase e passa, mas vamos explicar melhor.

 

Ao chegar no quarto mês, que é a maturidade sexual dos coelhos, eles se tornam adolescentes. É uma fase que costuma passar entre oito meses de vida e um ano. Até lá, os coelhos viram as criaturinhas fofinhas de Satan. Costumam morder, desobedecem, fazem xixi para marcar território. O meu Oliver era tão terrível, que chegava a dar salto mortal de xixi, para atingir o teto… E conseguia!

 

Mas eles continuam te amando…. Acredite! Depois que passar essa fase, vocês terão um amor muito forte desses peludinhos.

 

Uma maneira, aliás muito recomendada para acabar com esse problema da adolescência, é castrar. A castração elimina todos os seus problemas praticamente na hora. Aliás, é uma ótima decisão, pois irá ajudar na saúde de seu coelho para o resto da vida.

 

 

7. Castrar é sempre o melhor caminho!

 

Os coelhos podem ser esterilizados e castrados normalmente a partir dos quarto mês de idade. Isso elimina a possessão demoníaca chamada adolescência que vai acometer o seu fofinho hehehehe…..

 

Coelhas fêmeas têm 85% de chance de desenvolver câncer de útero até os quatro anos de idade. Esterilizá-las irá eliminar esse risco.

 

Não é comum haver castração social para coelhos, já que no Brasil há poucos projetos, abrigos e ONGs que cuidem especificamente de orelhudos. E os preços variam muito de cidade para cidade. Não temos como fazer um guia para vocês, infelizmente. Mas sempre recomendamos a castração. Aumenta a expectativa e a qualidade de vida, bem como evita bebês indesejados, caso vocês tenham um casal.

 

 

8. Coelhos JAMAIS devem ficar confinados em gaiolas.

 

A maioria dos novos papais e mamães de coelho, principalmente os que compram por impulso, acabam comprando gaiolas. Isso é bom para o dono da Petshop, mas é um erro terrível para o coelho. Coelhos não são ramisters. Coelhos são coelhos. Você prenderia um gato numa gaiola? Um cachorro em uma gaiola? Essa regra se aplica para os coelhos.

 

Vocês podem fazer um ambiente e um cercadinho, podem ter uma sacadinha pra eles ficarem… Mas não podem jamais prendê-los. Eles precisam correr, é extremamente necessário. Na Adote Um Orelhudo, já recebemos coelhos com fraturas por causa do confinamento.

 

Aliás, sempre solte ele pela casa, nem que seja por uma horinha. É importante para ele ser recebido como um membro da família. Nem que ele fique deitadinho debaixo da cama, ouvindo conversa. Aliás, eles adoram ouvir conversa… São bem fofoqueirinhos hehehehe….

 

 

9. Coelhos crescem. Seu peso pode variar de 1,5 kilos para até 11 kilos!

 

Nem todos os mini coelhos na realidade são minis. A maioria dos minis costuma ter 3 kilos. Os de porte médio chegam 5,5 kilos, e os gigantes até 11 kilos! Aliás não tenha preconceito com as raças maiores. Por incrível que pareça, eles costumam ser bem dóceis, inteligentes, dorminhocos, espertos… Aquele bebezinho fofinho, que dorme na palma de sua mão, pode se tornar um gigante!

 

 

10. Os coelhos precisam de socialização, atenção e brincadeiras.

 

Coelhos são criaturas extremamente sociais. Eles vivem em grupos organizados, sendo que uns dependem dos outros para sobreviverem. No entanto, muito poucos novos pais e mães de coelhos sabem disso. Aliás, eles não sabem nem como lidar com o coelho, quais os gestos de pedir carinho, atenção, brincadeiras, ou quando querem apenas serem deixados em paz. Não sabem nada mesmo. Inclusive , estamos preparando um guia de “coelhês” para ajudar a entendê-los. Em breve colocamos no site 😀

 

O laço de amizade com seu coelho será profundo e para o resto da vida, mas são totalmente diferentes de um gato ou cachorro. Mas uma simples pesquisada no Google já ajuda a entendê-los. Você vai se surpreender muito! Pesquisar e entender ele vai evitar frustação para você e para ele. Acredite, ele vai ficar extremamente triste se você não entendê-lo.

 

Essa tristeza é extremamente perigosa para o seu coelho. Coelhos morrem de depressão, e isso é sério. É comum, inclusive, quando um coelho perde seu companheiro e companheira, entrar em profunda depressão e até morrer.

 

Portanto, você está levando um animal que vai ser extremamente ligado a você, pelo resto da vida. Mesmo que não pareça, mesmo que ele fuja. Você vai ser “a coisa humana” mais importante da vida dele. Aprenda e entenda seu coelho. Faça-o feliz, que isso vai fazê-lo feliz também! Você precisará brincar com ele, estimular ele mentalmente e fisicamente.

 

 

11. O exercício diário é importante.

 

Coelhos exigem um mínimo de 4 horas de atividade por dia – de preferência quando eles estão mais despertos, ao entardecer e amanhecer. Eu tenho uma coelha me acorda todos os dias, pulando do alto (ela é ninja!) até no meu peito. Ela ainda quebra minhas costelas :/ Cada um deles vai ter um hábito, uma barda, uma manha. É muito particular de cada coelho. Tem coelhos que amam brincar de esconde-esconde, outros de pega-pega… Só convivendo para saber.

 

12. Eles exigem rotina.

 

Coelhos prosperam na rotina. São animais que dependem de rotina para a sua saúde, bem como para a sua segurança. Mexer com sua rotina causas stress. O estresse faz com que sejam mais suscetíveis à depressão e outras doenças.

 

13. Os coelhos são frágeis.

 

Coelhos são criaturas frágeis, não só fisicamente, mas mentalmente também. Eles exigem maneiras especiais de manipulação para ajudar a manter o seu stress mais baixo possível. A maioria dos coelhos não lida bem com ruídos altos e movimentos rápidos também. E, infelizmente, a sua primeira reação ao medo é chutar ou morder.

 

Os coelhos têm chutes extremamente poderosos. Quando um coelho está sendo tratado de forma abusiva, eles podem dar um chute tão forte que parte a sua coluna. Temos na Adote coelhos que fraturaram suas espinhas no lar original e exigem acompanhamento especial para o resto da vida. Coelhos morrem de susto também. Todo o cuidado é pouco com eles.

 

14. Os coelhos devem permanecer dentro de casa em um ambiente com temperatura controlada.

 

Coelhos precisam de um clima temperado constante. Calor intenso pode matar um coelho. Então, sempre recomendamos que eles fiquem dentro de casa, e não fora. Você precisa tomar cuidado com o alojamento de seu coelho. Deve manter limpo, arejado, longe da chuva, vento, frio, barulho e calor intenso. E de preferência, dentro de casa, perto da família. Eles vão amar!.

 

15. Eles estão membros de sua família. Trate-os como tal!

Eles vão causar pequenas destruições, principalmente roendo fios e cantos de móveis. Podem demorar para se acostumar a usar o banheirinho. Podem ser rebeldes, ter medo e até brigar. Mas nunca se esqueça, ele vai ser membro da sua família e você deve respeita-lo. Então, pense muito bem e não compre por impulso. Não faça esses animais sofrerem com maus-tratos e com a dor da separação de sua família. Muitas vezes, eles amam a família, e são rejeitados por ela. Isso é muito triste! Mais triste ainda é eles terem um fim pavoroso, que é o que acontece com a maioria dos animais comprados na Páscoa. Dê um final feliz para eles, não permita que sofram!

 

E principalmente, não compre: Adote!!! Temos muitos aqui na Adote aguardando um lar. Mas faça uma escolha consciente. É um amor para o resto da vida.

Traduzido e adaptado do seguinte post (em inglês): http://www.thebunnychick.com/2015/03/17/choose-chocolate-rabbit-instead-real-easter-bunny/

Novos Voluntários!

Um momento especial para o nosso projeto! Muita gente respondeu ao apelo sobre a necessidade de voluntários para cuidar dos coelhos, jabutis e porquinhos do parque aqui em Florianópolis! O William, a Kathleen, a Bruna, Amanda e Lucas participaram do seu primeiro dia no sábado. Me ajudaram a limpar, organizar e alimentar a bicharada que depende de nós. Além delas, outras pessoas se apresentaram e vamos tentar organizar uma equipe unida e eficiente!

Gostaria de esclarecer que o parque não tem obrigação de manter ou receber esses animais ( que não são nativos) mas cedeu um bom espaço para eles porque muita gente os descartavam. Como não havia uma estrutura adequada e nem verba pra alimentação (como frutas e verduras, apenas ração) decidi em 2009 colaborar no sentido de oferecer uma alimentação mais variada e completa, além de cuidados veterinários e manutenção do local.

Tudo isso exige tempo, dinheiro, dedicação, comprometimento. Então fico imensamente feliz por encontrar pessoas dispostas a abrir mão de um pouco de seu tempo para se dedicar a essa causa.

As vezes pode ser cansativo, as vezes está chovendo à beça, outras faz um calorão insuportável, mas muitos animais dependem de nós. No fim, ficamos com aquele sentimento de dever cumprido e uma enorme gratificação surge por saber que fizemos a nossa parte.

O mundo com certeza seria um lugar melhor se cada ser humano abraçasse uma causa: seja por crianças, idosos, doentes, animais, meio ambiente. Nenhuma causa é mais ou menos importante que a outra. Todas são importantes e todas se complementam. Se não estamos satisfeitos com algo, não adianta ficar de braços cruzados esperando que políticos ou ongs resolvam para nos. Sempre da pra fazer alguma coisa, por menor que seja!

Por isso, pessoal, espero que o exemplo desses voluntários inspire mais gente a tomar uma iniciativa!

 

hs160  hs161  hs162