UM, DOIS, TRÊS COELHOS... 🐇🐇🐇 A convivência com outro coelho PARTE 2

Sociável e amante da vida em grupo 🐇🐰🐇🐰na natureza, em casa um coelho também aprecia a companhia de um de seus semelhantes. Pois assim como nós humanos, nosso orelhudinho possui necessidades afetivas e emocionais 😍que, se não formos capazes de fornecer por falta de tempo, pode causar um profundo sentimento de solidão e tristeza ao nosso amiguinho😔.

Se você tem condições financeiras 💵 de cuidar de mais um animalzinho, considerando despesas com alimentação e veterinario especializado, considere dar ao seu coelhinho um companheiro, seja do sexo oposto ou do mesmo sexo, sempre tendo a precaução de castrar ambos para evitar problemas futuros de relacionamento e facilitar assim a convivência. E opte SEMPRE PELA ADOÇÃO❗

Raça e tamanho tem pouca importância na escolha do novo amiguinho. Um mini coelho pode perfeitamente se relacionar com um coelho gigante , considerando-se,
entretanto, a personalidade individual de cada um. A idade, porém, tem uma certa relevância e é preferível juntar dois coelhos com idades semelhantes.

Em todo caso, a apresentação de um novo habirante ao coelho da casa deve ser de maneira gradual, uma vez que esse já marcou o território com o seu odor. Os dois devem ser apresentados em um ambiente neutro e é preciso um período de adaptação antes de deixa-los em contato direto. Podem permanecer no mesmo ambiente, mas separados por uma grade, para que possam se ver e se cheirar mas sem a possibilidade de se agredirem. Depois de umas duas semanas pode-se tentar deixa-los se aproximar um do outro de uma maneira mais direta. Ainda assim o coelho da casa ainda poderá tentar agredir o novo indivíduo e caça-lo.

ATENCAO! ⚠️Durante esse processo de adaptação, deixe o coelho ” dono do pedaço ” voltar ao seu ambiente habitual e deixe o outro num espaço da casa onde o primeiro não tenha acesso( um quarto, uma garagem, até mesmo um banheiro).

Todos os dias, promova essas ” sessões de encontro ” por 30-60 minutos, 🔎observando com atenção como se comportam e vá aumentando dia a dia o tempo⏳ que os dois permanecem no mesmo ambiente. No final dessas duas semanas iniciais, tente deixa-los juntos diretamente SEMPRE COM SUA SUPERVISAO, e se eles estiverem de acordo com a companhia um do outro, manifestarao uma recíproca aceitação lambendo-se. Deste modo você poderá transferi-los ao cômodo onde poderão viver juntos, continuando a controlar se se comportam pacificamente. Pode acontecer também de ambos ignorar um ao outro, mantendo-se longe. Esse comportamento tende a desaparecer com o tempo . Também pode ocorrer de um querer ” montar ” no outro. O coelho ” montado ” pode aceitar passivamente a situação ou pode rebelar-se e contra-atacar e no pior dos casos começarem a se agredir. É preciso intervir imediatamente pois podem se machucar gravemente🤕.

Se com todas as tentativas de apresentação eles não se aceitarem, eles deverão viver em cômodos separados da casa e você precisa estar preparado para essa situação, tendo espaço suficiente para acomodar mais um.

Porém, com paciência e perseverança, procedendo gradualmnete e com constância , tendo os coelhos sempre sob controle , no final será recompensador 😀 ver uma grande amizade nascer entre eles quando finalmente se aceitarão reciprocamente e poderão conviver no mesmo ambiente sem a sua supervisão. 🐇💖🐇

ADOTE COM CONSCIÊNCIA E RESPONSABILIDADE!

#amizade #companhia #coelhos #bunnies #coniglio #convivência #adoteumorelhudo

Fonte bibliográfica: AVANZI, Marta. Um coniglio nano e le altre razze da compagnia, De Vecchi, Milano-IT, 2008.

Ilustração: @jhulllyimaginario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *